Foz do Iguaçu em 3 dias: Cataratas, Parque das Aves, Paraguai e Argentina

Vamos de destino nacional no post de hoje! Na viagem para Foz do Iguaçu, em cerca de 3 dias é possível conhecer as impressionantes cataratas – do lado brasileiro e argentino – passear e jantar em Puerto Iguazu (ARG) e fazer compras no Paraguai. No pacote, é possível incluir ainda o Parque das Aves, o Marco das 3 Fronteiras e outras atrações. Confira as dicas!
* Por Anaéli




Já falamos que o Parque Nacional do Iguaçu, uma das 7 Maravilhas da Natureza, é daqueles destinos que todo mundo precisa ir algum dia. Somente as cataratas já valeriam a visita à cidade de Foz do Iguaçu, mas tem bem mais coisa pra aproveitar por aqueles lados.

Considero Foz um dos melhores destinos brasileiros para viagens com a família (minha mãe adorou e aproveitou bastante os parques). Também é uma ótima trip para fazer com o mozão ou mesmo all by yourself. 

E quem conhece a região sempre planeja voltar. 🙂

 

Foz do Iguaçu: quando ir e onde ficar

As cataratas podem ser visitadas durante todo o ano. E hospedagem é uma questão bem simples em Foz do Iguaçu. No post sobre como visitar o lado brasileiro das cataratas no Parque Nacional do Iguaçu, já demos essas dicas sobre onde ficar e se ir no verão ou inverno: acesse aqui.

 

Circulando na Tríplice Fronteira

Parque Argentino, em Puerto Iguazu

Pra aproveitar também as atrações de Puerto Iguazu, na Argentina, e dar aquela passadinha em Ciudad del Este, para compras no Paraguai, é preciso estar atento a algumas regrinhas e dicas.

DESLOCAMENTOS | As principais formas de circular por esses países são: ônibus, táxi, carro (próprio ou alugado) e vans/veículos de turismo. O ônibus é sempre a opção mais econômica, mas se quiser mais conforto, liberdade de horários e praticidade considere alugar um carro. Os táxis são opção mais cara, e até onde sei, o Uber chegou recentemente na cidade.

💡 Do TTU – Terminal de Transporte Urbano de Foz (Av. Juscelino Kubitscheck, 1385 – Vila Portes) saem ônibus para diversos pontos de interesse, inclusive para Puerto Iguazu.

IMIGRAÇÃO | Para circular nos países do Mercosul você deverá passar pela alfândega (aduana) e estar com seu RG (se cidadão de um destes países) ou passaporte válido em mãos. Não tente inovar levando outros documentos.

MOEDA | Leve reais e troque lá por pesos para as compras e passeios na Argentina, e por dólares o que for gastar no Paraguai. As taxas de câmbio costumam ser OK – é uma região de muita circulação dessas moedas. Recomendo não comprar nada no cartão nesses países.

 

O que dá pra fazer em 3 dias em Foz do Iguaçu?

Com 3 dias, optei pelos circuitos principais em cada parque, e usei o início da manhã e fim de tarde para os passeios na Argentina e compras (rápidas) no Paraguai. E ainda deu pra fazer mais coisa na manhã do dia da volta. 😉

 

Parque Nacional do Iguaçu – Lado Brasileiro

Ok, essa é a principal razão pela qual você vai a Foz, certo? Mesmo que não vá fazer trilhas mais longas, apenas a caminhada panorâmica, vá cedo (o Parque abre às 9h) e reserve a maior parte do dia, para fazer o passeio da forma mais tranquila e aproveitar bastante o encontro com a natureza.

As dicas de como chegar, obter ingressos e aproveitar as atrações estão neste post sobre o Parque Nacional do Iguaçu. Se ainda não leu, tá dando mole.

 

PARQUE DAS AVES

O Parque das Aves fica ao lado do Parque Nacional do Iguaçu, e funciona até as 17h. Com o tempo de que dispunha, optei por visitá-lo após o almoço no Parque Nacional. Foi um pouco mais corrido, mas valeu bastaaante a pena! Informações e tarifas atualizadas em www.parquedasaves.com.br.

Você chega pertinho de tucanos e outros belos animais no Parque das Aves

Cataratas Argentinas | PARQUE NACIONAL IGUAZU 

– Ah, mas já vi as cataratas do lado brasileiro, preciso ver do lado argentino também?
Sim, precisa! E como precisa. São experiências e perspectivas bem diferentes. Do lado brasileiro, aprecie a imensidão das cataratas em uma visão mais ampla e veja toda sua grandeza e força a partir dos diversos mirantes. Do lado argentino, ande nas passagens sobre as cataratas e adentre a beleza da mata e das quedas d’água – é muito emocionante.

Explorar o lado argentino das cataratas foi o que mais gostei de fazer nessa viagem

Você deve estar lendo nas pesquisas que o lado argentino é “mais roots”, mas isso se comparado com a maior acessibilidade do lado brasileiro. Também depende do circuito que você escolher, dá para aproveitar o parque sem fazer trilhas pesadas, é apenas uma questão de caminhar um pouco mais e subir algumas escadas (minha mãe é sedentária e foi super tranquilo pra ela).

No interior do Parque você pegará um trem que dá acesso às trilhas e atrativos: Garganta do Diabo, Trilha Superior, Trilha Inferior, Trilha Verde e Ilha San Martin. Minha dica é: aproveite o máximo que puder: no parque argentino, a imersão na floresta e no entorno das cataratas é maior.

Garganta do Diabo de pertinho – e brô registrando tudo

Fizemos a Garganta do Diabo – uma passarela longa que passa acima do rio e finaliza com a emocionante chegada à Garganta; vimos jacarés, roedores e aves. Também percorremos o circuito superior, uma passarela com diversos mirantes e vista da Isla San Martin – garantia de visuais incríveis. Da trilha superior deu pra ver partes da trilha inferior, que também pareceu muito legal e dá acesso ao barco que vai na Isla San Martin (mas tem mais escadas e é mais cansativo). Também existem outras atividades adicionais, como safáris e passeios de barco, cobradas a parte.

COMO CHEGAR | Se você for de ônibus a Puerto Iguazu, ao chegar na rodoviária precisará pegar um ônibus circular que passa no Parque. O parque abre todos os dias às 8h e fecha às 18h – a entrada é permitida até as 16h30. Valores atualizados dos ingressos e demais informações: www.iguazuargentina.com.

 

Puerto Iguazu 

Após visitar o lado argentino das cataratas, que tal um happy hour na Feirinha de Puerto Iguazu, seguido de um jantar em um restaurante argentino? Essa foi minha escolha, mas Puerto também tem um Duty Free que os brasileiros costumam adorar, cassinos e um ice bar.

Feirinha | A feira fica na Avenida Brasil, é pequena e um tanto pitoresca, mas vale para quem tem aquele crush com a gastronomia. Lá dá pra comprar produtos e temperos como vinhos, queijos, azeites, alfajores e conservas, com preços razoáveis. Por lá também dá pra tomar um chopp com petiscos, como a picada argentina, nas barraquinhas do centro da Feira.

💡 Se possível, vá no Happy Hour, é mais animado. A feirinha funciona até as 22h.

Jantar | A noite em Puerto Iguazu é mais movimentada que em Foz. Tem muita gente que opta por jantar lá todos os dias – e até por se hospedar na cidade. Minha escolha foi jantar pelo menos um dia, em um dos restaurantes locais. Opções não faltam, como estava em familia optei pelo El Quincho del Tio Querido, programa turistão, com shows tradicionais argentinos, parrilla y vino. Demos muita risada, como quando minha mãe pediu farofa ao garçom, ainda por cima em português haha… Então é isso: dá aquela olhada no Trip Advisor e afins, escolhe o que tem mais sua cara, reserve e bom apetite!

Cassinos e Icebar | Não fui neles, mas vale registrar que existem. Os cassinos deixo para Vegas, né? Penso que, se estiver com pouco tempo, não vale a pena visitar, a não ser que você seja mesmo muito fã de jogo ou não tenha outra oportunidade de conhecer um cassino. Para o Bar de Gelo, deixo o link do post do Abrace o Mundo que descreve a experiência (aqui ó), mas acho que vale a mesma lógica: com tantos icebars no mundo…

Duty Free |  O Duty Free é perto da alfândega e passamos rapidamente nele. Estava muito cheio, não vi muita vantagem nos produtos e preços. Além disso, já tinha planejado o que queria comprar, eram eletrônicos (pouca coisa) e seria no Paraguai. Então pra mim não foi nada atrativo, mas não sou nada consumista. Muitas pessoas costumam gostar de lá, especialmente para comprar bebidas e perfumes. Vale entrar e tirar suas próprias conclusões. 🙂

Como ir |  O ônibus sai do TTU – Terminal de Transporte Urbano de Foz para Puerto Iguazu em 12 diferentes horários a partir das 7h45 até as 18h15. Além da economia, tem a vantagem de ter uma entrada mais rápida na Argentina, por conta da faixa específica na cabine de imigração (os carros pegam  filas maiores). Mas o último horário do ônibus é entre 19h30 e 20h: se for jantar, alugue um carro ou deixe combinado algum meio de transporte previamente, para ter maior praticidade  e segurança. Vale também ligar antes pro TTU pra confirmar o horário do busão, ok?

Pra quem vai circular de carro, basta a CNH brasileira, mas é importante verificar as normas locais com relação ao trânsito. Na Argentina, por exemplo, a lei exige que o motorista tenha um cambão rígido ou cabo de aço, para caso de necessidade de reboque do veículo, e um segundo triângulo.

 

Compras no Paraguai

Minha experiência: peguei um táxi até a fronteira, atravessei a ponte da amizade a pé, e depois de uma caminhada curta já cheguei às lojas. O comércio em Ciudad del Leste abre as 7h, então fui bem cedo. Demorei pouco, pois já tinha definido previamente o que compraria e onde – e queria aproveitar o dia no parque depois. Deu super certo! E foi mega tranquilo passar pela Aduana. Dicas:

  • Pague suas compras em dólar. Eu fiz o câmbio em Foz, mas muitos sites recomendam fazer no Paraguai que possui cotações mais favoráveis e não tem IOF. Caso faça essa opção, procure as casas de câmbio (jamais os cambistas).
  • Pesquise previamente preços, produtos e lojas para ser mais produtivo em suas compras. Eu usei o Lojas no Paraguai e não tive problemas. Outro site muito citado em posts sobre o assunto é o Compras Paraguai, que tem uma lista de lojas com avaliações.
  • Comprar em galerias e lojas maiores é mais seguro. Teste os produtos na loja, verifique garantia e integridade, e pegue a nota fiscal.
  • Cuidado com os golpistas, frequentes na região. Fique atento ao caminhar perto da fronteira, não é uma área agradável – mas você não terá problemas se seguir as dicas de segurança comuns. Pague em cash. Um porta-dólar é sempre recomendável. E caso seja abordado por alguém na rua oferecendo ajuda ou produtos, não pare ou dê atenção.
  • Na volta, ao passar pela aduana brasileira / Receita Federal os fiscais poderão analisar suas compras para ver se estão dentro da cota. Isso também pode ocorrer no aeroporto de Foz.
  • O limite de compras é 300 dólares por pessoa (incluindo crianças). Quem for vistoriado e flagrado com valores superiores, paga taxa de 50% sobre o excedente.
  • O funcionamento da aduana de Foz do Iguaçu é de segunda à sábado, das 7h às 19h e domingos das 9h às 13h.

 

MARCO DAS 3 FRONTEIRAS

O Marco das Três Fronteiras é um lugar interessante, não apenas pela bela visão que se tem do Rio Paraná, como pela referência simbólica à união entre Brasil, Paraguai e Argentina, bem representada nos monumentos da área. Ficamos lá por cerca de 1 hora durante a tarde.

Se tiver a oportunidade vá no horário do pôr do Sol, que é mais recomendado pela beleza da luz e porque à noite existem alguns espetáculos que contam histórias e tradições. É preciso ingresso para entrar no Complexo Turístico, confira valores e informações em www.marcodastresfronteiras.com.br.

 

ITAIPU e City Tour

Sobrou tempo? Parabéns, você é tão produtivo nas trips quanto a viajante que vos escreve haha! Você pode, por exemplo, fazer um city tour por Foz e conhecer atrações notáveis por sua arquitetura e história – como a Mesquita Islâmica e o Templo Budista – por conta própria ou de Sightseeing bus.

Nós optamos por visitar Itaipu, no roteiro panorâmico, que se adequou melhor à nossa disponibilidade de tempo. A família é meio nerd e curtiu a experiência de conhecer a estrutura e funcionamento de uma usina hidrelétrica. Infos sobre roteiros no turismoitaipu.com.br.


Não custa lembrar: o post especial sobre o Parque Nacional do Iguaçu (lado brasileiro das cataratas) está aqui só esperando pela sua visita.

Deixe uma resposta