Como visitar as cataratas do Parque Nacional do Iguaçu

O Parque Nacional do Iguaçu é um daqueles lugares que todo viajante brasileiro precisa conhecer. Com seu exuberante conjunto de cataratas, o Parque recebe mais de 1 milhão de visitantes por ano, é orgulho nacional, considerado uma das 7 Maravilhas da Natureza e Patrimônio Mundial da Humanidade. Um passeio inesquecível, seja sozinho, com mozão ou em família – porque o parque tem uma ótima estrutura e pode ser visitado por todas as idades.
*Por Anaéli

Tem melhor época para visitar as Cataratas do Iguaçu?




As cataratas são um espetáculo o ano inteiro. O que muda, a depender da estação, é o volume de água: no verão, quedas d’água em seu potencial máximo. Em épocas de Mais pro meio do outono e no inverno (estação seca no Sul), a vazão diminui: menos água jorrando. Por outro lado, nessa época você consegue visualizar melhor as cataratas principais e a Garganta do Diabo, por exemplo, já que não tem a bruma branca que o excesso de água forma no ar.

O movimento de turistas é sempre alto, diminuindo um pouco nos meses de junho e julho por causa do frio. Em feriados/alta temporada, você encontra muito mais gente nas trilhas – o que pode atrapalhar  um pouco a experiência, se você gosta de “contemplação”, rs.

Onde ficar em Foz

Foz do Iguaçu é um destino turístico movimentado, não faltam opções de vôos e ônibus para chegar na cidade, e a hospedagem lá também não é uma questão complicada. Quer economia e praticidade? Fique no Centro da cidade de onde terá fácil acesso ao comércio, transportes e outras atrações do “pacote Foz” – Paraguai, Parque das Aves, Puerto Iguazu, etc.

Dispõe de um orçamento maior e quer relaxar mais? Pode ficar em um resort da Avenida das Cataratas. Nesse caso, é mais prático ter um carro alugado. E se puder quiser ficar luxuosamente hospedado de frente para as Cataratas, o 5 estrelas Belmond Hotel das Cataratas é a sua opção.

Chegando ao Parque Nacional do Iguaçu

O Centro de Visitantes é a porta de entrada para o Parque Nacional do Iguaçu, na Avenida das Cataratas / BR-469, km 18. É super tranquilo de chegar. A opção mais econômica, a partir do centro de Foz, é pegar o ônibus que sai do TTU – Terminal de Transporte Urbano de Foz (Av. Juscelino Kubitscheck, 1385 – Vila Portes).  Pra quem vai de carro, o local conta com estacionamento pago.

O Parque abre às 9h, vá o mais cedo possível. O ingresso pode ser comprado antecipadamente pela internet, mas nem é necessário pois no local a compra é descomplicada, apesar do volumão de turistas. Veja abaixo a tabela de preços de 2017 (informações atualizadas no site www.cataratasdoiguacu.com.br).

 

Agora é aproveitar as Cataratas!

Após ingressar no Parque, o ônibus interno te deixará no ponto desejado. A Trilha das Cataratas é a parada para quem quer percorrer o trajeto básico de caminhada, com os mirantes principais que dão uma visão panorâmica do conjunto de quedas d’água e permitem a aproximação maior com alguns dos saltos. Ao final da trilha, passarelas vão te levar perto da garganta do Diabo, a mais impressionante das cataratas.

São 1.200 metros de um caminho formado por passarelas, alguns trechos com rampas e degraus, mas tudo bem estruturado. Há alguns quiosques com lanches e água no trajeto. O esforço é de leve a moderado e pode ser feito por todas as idades – eu estava com uma mãe sedentária que fez tudo tranquila e feliz.

No passeio, você vai ver animais e plantas do Parque – especialmente quatis, muitos! –  fique atento às placas sobre os cuidados e respeite as regras do Parque.

Por mais que as Cataratas do Iguaçu estejam descritas em textos, fotos e vídeos, nada se compara a presenciá-las ao vivo. Então, agora é com você: reserve pelo menos a maior parte do dia, e ao iniciar a trilha, respire fundo e relaxe: a experiência vai te surpreender e renovar.

Dicas:

    • Vista roupas e sapatos confortáveis para a caminhada.
    • Leve que você precisar para se proteger do sol: protetor solar, óculos escuros, chapéu, etc.
    • Você precisará de capa de chuva ao se aproximar das quedas d’água, que podem ser compradas em Foz, na entrada ou na lojinha do Parque.
Não tente fazer isso, ok? :p
  • Mesmo com a capa de chuva você vai se molhar um pouco na garoa das cataratas – ok, você nem vai ligar, rs.
  • Proteja seus equipamentos eletrônicos com capas impermeáveis também.
  • O valor de lanches, souvenirs e utilidades dentro do Parque é mais alto, então caso esteja contando a grana, compre o que for necessário antes. Mas lembre que a venda de produtos também é uma das formas de obter recursos para a proteção da natureza do Parque.
  • Respeite sempre as regras do parque e a boa convivência com a natureza.

Porto Canoas: almoçando nas Cataratas do Iguaçu

Após a trilha das cataratas com certeza a fome vai bater forte, e a opção no Parque é o Porto Canoas, um restaurante com uma vista pro Rio Iguaçu com capacidade para 470 pessoas.

Eles servem um buffet livre (59 reais, em outubro de 2017), com sobremesas cobradas à parte. As comidas são saborosas, há uma boa variedade de pratos e o ambiente é inesquecível. O horário de funcionamento é das 12h às 16h.

Trilhas e passeios

O Parque oferece passeios adicionais, com mais aventura e imersão na natureza, como a Trilha do Poço Preto, um caminho que os índios usavam para contornar as Cataratas do Iguaçu, e que pode ser feito com caminhada, bike ou carro elétrico.

Outra atração conhecida é o Macuco Sáfari, que combina um percurso de trilha com a aproximação das cataratas em um barco inflável. O mapa do Parque mostra os pontos de acesso pra cada atração. Informações sobre passeios e ingressos podem ser obtidos no Centro de Visitantes.

O barco do Macuco Sáfari se aproximando para um banho

💡 Não deixe de visitar também o Parque Argentino e aproveitar outras atrações de Foz do Iguaçu e da tríplice fronteira. Acesse aqui o roteiro completo para 3-4 dias nessa região.




Deixe uma resposta