Como tirar o Certificado Internacional de Vacinação

Vai viajar para algum país que exige comprovação de vacina contra febre amarela ou outras doenças? Saiba como emitir o seu Certificado Internacional de Vacinação.
*Por Anaéli

Alguns destinos internacionais exigem, para a entrada em seu território, a comprovação de que o viajante está com a vacinação em dia. Essa exigência é feita, em geral, para a vacina contra a febre amarela, mas em alguns casos outras vacinas poderão ser solicitadas. É fundamental pesquisar essa questão antes de viajar. O site da OMS é uma das principais referências para essa informação. E, se necessária a comprovação da vacina, é preciso tirar o Certificado Internacional de Vacinação.

Certificado Internacional de Vacinação: o que é




O Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) é um documento emitido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Segundo o site da agência, esse documento “comprova a vacinação contra a febre amarela e/ou outras doenças, bem como outros métodos profiláticos, medidas tomadas para evitar a disseminação e doenças e contaminação. É exigido, por alguns países, como condição para a entrada de um viajante.”

Qualquer país pode exigir o CIVP para travessia de suas fronteiras, conforme está previsto no Regulamento Sanitário Internacional (RSI).

Na data deste post (junho/2017), está sendo exigido CIVP apenas como comprovante de vacinação contra febre amarela. Porém, isso pode mudar a depender do contexto de saúde e epidemias pelo mundo.

Como tirar o certificado

O primeiro passo é tomar a vacina exigida, claro. Lembre-se de tomar a vacina com antecedência, pois leva algum tempo para a imunização ser considerada bem-sucedida. No caso da febre amarela, a antecedência mínima é de 10 dias. Para a vacina da febre amarela, é necessário tomar apenas uma dose.

No dia da vacina, não esqueça de levar seu cartão de vacinação, e de conferir se o preenchimento foi feito no cartão da forma correta: com a data de administração e lote da vacina, a assinatura do profissional que realizou a aplicação e a identificação da unidade de saúde onde foi feita. Se esses itens não estiverem ok, o certificado não será emitido.

Em seguida, caso queira agilizar seu atendimento, você pode realizar um pré-cadastro no link http://www.anvisa.gov.br/viajante, clicando na opção “cadastrar novo”. No dia em que tentei fazer esse cadastro o sistema estava com problemas. Se ocorrer o mesmo com você, não se preocupe, também é possível fazer o cadastro no posto da Anvisa mesmo.

O último passo é se dirigir a um posto da Anvisa com documento de identificação válido (RG, carteira de motorista ou passaporte) e o cartão de vacinação. Para menores de 18 anos, também é aceita certidão de nascimento. Os postos de orientação ao viajante estão no link https://viajante.anvisa.gov.br/viajante/.

Depois de encontrar a melhor opção para você, não deixe de ligar para o Centro de sua preferência para confirmar o horário de funcionamento e se de fato está emitindo o CIVP. Aqui em Salvador, por exemplo, tinha uma lista com alguns postos da Anvisa, mas ao ligar descobri que apenas o do aeroporto estava emitindo o Certificado.


No caso da vacina contra febre amarela, o certificado vale para toda a vida. Guarde com cuidado junto ao seu passaporte, para não precisar tirar uma segunda via.

E lembre que pesquisar sobre doenças, sistema de saúde e vacinas necessárias no seu destino não é importante apenas pelas exigências das autoridades, mas principalmente, para você se preparar e ter uma trip tranquila e segura. Cuide de sua saúde e boa viagem! 😉

Deixe uma resposta