Resenha: como é se hospedar no hostel El Viajero, em Cartagena?

O El viajero é um hostel bastante famoso em Cartagena. Na minha viagem para a Colômbia, em agosto de 2016, fiquei hospedada nele por quatro noites, e nesse post compartilho detalhadamente a minha experiência.
*Por Anália




A rede de albergues El viajero está presente na Colômbia (Cali, Cartagena, San Andres e Salento) e no Uruguay (Colônia del Sacramento, La Pedra, Montevidéu e Punta del Este). Se você está viajando sozinho (como foi o meu caso em Cartagena), os hostels são uma ótima opção para conhecer gente nova.

Se você vai acompanhado e quer economizar na viagem, hospedar-se nestes hostels também é uma ótima escolha. Até mesmo para quem não abre mão de um quarto privativo, pois a maioria deles já possui essa opção, de quarto duplo, triplo, ou até mesmo individual. O El viajero não é exceção. 

Onde se hospedar em Cartagena: tudo sobre o hostel El Viajero

Localização – o El viajero fica no centro de Cartagena (dentro das muralhas) e dá para fazer quase tudo andando, inclusive ir e voltar das baladas!

El viajero é perto de tudo!

Recepção – é 24 horas. Todos os funcionários falam espanhol e inglês. E são muito educados! Na recepção você também pode conseguir um mapa gratuito da cidade.

Toalha e roupa de cama – quando você faz o check in, eles te entregam a roupa de cama (lençol, fronha e cobertor) dentro de um saco plástico. Toalhas podem ser alugadas por 5 mil pesos colombianos, que você paga quando pega, e devolve no check out.

Lavanderia – se precisa lavar suas roupas, ao invés de sair procurando uma lavanderia, basta deixar as peças na recepção: eles lavam, secam e passam e te entregam no dia seguinte. O serviço é pago, mas é uma mão na roda, não acham?

Áreas comuns – o hostel conta com 4 áreas comuns: a recepção, onde há sofás, computadores com internet para uso livre pelos hóspedes e uma das salas do café da manhã; uma sala de TV; o hall onde estão a maioria dos quartos; e o salão, onde ficam o bar, mais alguns quartos, algumas redes (oba!) e mesas para o café da manhã. Só é permitido ficar nas áreas comuns até meia-noite. Depois disso, todos devem ir para os seus quartos – ou sair do hostel.

Todas as noites no bar, das 19h às 21h, acontece o happy hour, quando você compra algum drink (um diferente a cada dia) e leva dois. É bom para começar a esquentar a noite, e é o local para fazer amigos. Duas vezes na semana tem aula de salsa, a partir das 21h.

Segurança – há pequenos cofres nos quartos, e embaixo dos beliches um compartimento para que você possa guardar a mala e trancar (leve seu próprio cadeado!).

Café da manhã e refeições – o café da manhã está incluído, mas é bem simples. Todos os dias havia pão de forma, manteiga, geléia e café com leite. Um dia ou outro teve queijo e presunto, uma opção de fruta ou uma opção de suco. São dois salões para tomar café, sendo que um deles possui cozinha equipada com fogão, onde você pode preparar alguma coisa para comer. Também tem geladeira – sugiro etiquetar seus alimentos, para não ter confusão =)



Limpeza – não deixa a desejar. Fiquei num quarto feminino, com 6 camas, e todos os dias alguém fazia a limpeza. O banheiro era compartilhado, e em todos os momentos que usei estavam limpos. Existe uma área separada para os chuveiros (fica um rodo na porta, e eles pedem que nós enxuguemos o excesso de água ao sair) e outra para sanitários e lavabo, que também estavam sempre limpos.

Ar condicionado – Cartagena é muito, muito quente, e ar condicionado é um item indispensável. No El viajero, ele é programado para ser ligado todos os dias às 19h e desligado às 11h da manhã. Mas, se você quer tirar um cochilo ou ficar no quarto fora desses horários, pode ir na recepção e dar o número do seu quarto, pedindo que liguem.

Eu recomendo! E você, já ficou no El Viajero ou algum outro hostel em Cartagena? Quer compartilhar sua experiência com a gente ou tem alguma dúvida? Escreve aí nos comentários!

Se você ainda não viu o post de Cartagena, confira aqui nossas dicas imperdíveis para aproveitar a cidade!

 

Deixe uma resposta